fridayfour
VSCO X de graça? Não acreditam, pois não? Então cliquem aqui . aconselho a que baixem o programa mesmo a partir da descrição do vídeo. Uma receita simples para vscocam vejam mais aqui: @errorfilter Uma boa música para mim é aquela que me seduz na p…

Design your blog - select from dozens of ready-made templates or make your own; simply “point & click” - Click here

Likes

Comments

fridayfour
#1 Injeção de motivação Excelente vídeo de 3min que certamente ajudará alguém que se encontra numa situação de impasse, de "Arrisco ou não arrisco?". Descubram a resposta. #2 Uma música para ajudar com este dia de chuva Não conhecia JP Cooper mas e…

Likes

Comments

fridayfour
#1 Um filme Baby Driver Este filme fez o meu dia. Não tinha expectativas nenhumas quando decidi vê-lo, até porque a única coisa que sabia era que o Ansel Elgort participava.... you had me at hellooooo! Ele interpreta o papel de " Baby ", um jovem a…

Likes

Comments

fridayfour
#1 Uma música Bon Iver - 8 (circle) | One To One "It was in Oct. 2016, in Berlin, during Michelberger Music. Between each show of the festival, we were kidnapping a person in the audience, which we were taking to a secret room where an artist was w…

Likes

Comments

#1 Um falso documentário

Where Is Thea?


Confesso que a primeira vez que encontrei este vídeo pensei mesmo que se tratava de um pedido de ajuda real. (I know, silly me!) Mas a verdade é que esta espécie de documentário da vida real está mesmo próxima da vida real. A começar nas filmagens, que parecem todas serem feitas a partir de um iPhone e a acabar na falta de cenários bonitinhos e personagens trabalhadas.

Então, mas o que é isto? Pelo que eu entendi, o FEUDLY é um canal de youtube que transmite esta mini série norueguesa - a lembrar muito SKAM, que saudades! - em que Liv procura por Thea, a sua melhor amiga/companheira de casa que está desaparecida. Não percebi ainda onde é originalmente produzida esta série mas parece-me que os episódios integrais estão mesmo todos no canal que mencionei.

Tenho gostado muito de acompanhar, normalmente cada parte tem os seus humildes três minutos, o que é poucochinho mas que dá para aumentar o suspense e a vontade de saber mais. Aconselho sobretudo para quem é fã de SKAM. E já agora, se algum de vocês me souber esclarecer mais acerca da origem de "Where is Thea?" agradeço. 😉


#2 Uma série

Jane The Virgin


Geralmente, afasto-me destes cartazes todos coloridos do Netflix mas fez-me ficar particularmente curiosa depois de ter lido a sinopse que referia que Jane (a protagonista), fiel católica, prometida a uma vida casta antes do casamento, é inseminada artificialmente, resultado de um erro médico, passando a Jane, the pregnant virgin!

Contem com muita comédia, com um romance satírico ao estilo de telenovela e acreditem que é uma ótima série para ver quando não apetece ver um filme longo ou pensar muito nas questões existenciais.

É uma série que me faz lembrar um bocadinho o registo de Betty Feia mas melhor! Tem 3 temporadas e eu estou quase a acabar a primeira, o que é ótimo tendo em conta que comecei a assistir há 1 semana atrás e a primeira temporada tem 22 episódios.


#3 Um vídeo que eu gostava de ter visto há mais tempo

F E R T I L I Z A T I O N


Este vídeo está tão incrível que desejei que o meu 15-years-old-self o tivesse visto nas primeiras aulas de Biologia. Tudo é tão mais motivador em formato de imagem. E poético! Não é poético? Já agora, aproveito para referenciar o canal de youtube que transmite estes pedaços de arte: Nucleus Medical Media. Se são estudantes de medicina ou então têm apenas um prazer e curiosidade enorme em perceber determinadas patologias/fisiologia humana, este canal é para vocês.


#4 Um lançamento de uma nova música

Ready to Change, by KODALINE


Para quem me segue há uns aninhos, não será novidade dizer que Kodaline é uma paixão fiel minha. É uma banda que tem tentado inovar bastante nos últimos tempos, sair fora do seu registo habitual e a mim parece-me que estão a consegui-lo na perfeição. As músicas continuam catchy e os clips oficiais transmitem sempre uma mensagem forte e intimista.

A minha explicação para gostar de Kodaline vem desta sua pureza de sentimentos, da sensibilidade que uma banda masculina (repito: masculina!) não tem medo de trazer à tona. Aconselho-vos mesmo a verem o vídeo. Fãs de Kodaline, se ainda não se tinham esbarrado com este clip, fico muito feliz por ter sido a fonte da boa nova. Hope you love it. 💘

Design your blog - select from dozens of ready-made templates or make your own; simply “point & click” - Click here

Likes

Comments


#1 Uma série

Genius


É uma série do National Geographic e só isso diz muito. Mas a isso ainda se junta uma biografia incrível de Albert Einstein. Se querem entrar no século XX de uma forma realista, vejam esta série. Além de percebermos a vida de uma das mentes mais brilhantes que este mundo um dia teve a oportunidade de presenciar, percebemos muito do contexto historico-socio-político da época de então. O rigor factual é fantástico e a fotografia um mimo. A primeira temporada foi dedicada a Einstein e sabe-se que a segunda será de Pablo Picasso. Promete!


#2 A TEDx Talk

There's more to life than being happy


O título deste vídeo chamou-me a atenção porque de facto, toda a minha vida eu achei que a felicidade deveria estar no centro das nossas preocupações/prioridades. Mas e se não for "apenas" a felicidade? E se aquilo que nos faz sentir algo passar por outras coisas que não necessariamente estar apenas calmo ou positivo? Se querem perceber-se mais um bocadinho, vejam este vídeo e digam-me se não faz todo o sentido.

#3 Um filme

Fight Club (1999)

Ora aqui está um filme que eu tenho na minha watchlist há demasiado tempo. Ontem risquei-o finalmente e posso dizer que valeu a pena. A interpretação do Brad Pitt é só a melhor a que pude assistir e as participações de Edward Norton, Helena Carter e Jared Leto parece-me a mim que são mais 3 razões pelas quais devem ver este filme.

A meu ver, além de abordar o óbvio (que vocês só irão entender no fim), este é um filme que explora a luta contra a nossa própria identidade, que me fez sentir livre e me moveu a ser mais "irrequieta", mais irreverente no futuro. Além disso, fez-me rir. Muito.


#4 Um restaurante

Honorato Telheiras


imagem retirada da minha publicação de 2015 (vejam mais aqui)

Em 2015 falei-vos deste sítio e é passados 2 anos que vos volto a incentivar para lá irem comer o hambúrguer da vossa vida. Estive no Honorato há cerca de 2 semanas e continuo com a mesma opinião: este é mesmo o hambúrguer mais saboroso que as minhas papilas gustativas já tiveram o prazer de conhecer, ultrapassando a Dona Maria Pregaria, o típico McDonalds e já nem falo no Burger King (que nunca me convenceu).

As batatas, bem como o molho de batatas, parecem-me "feitas à mão", ou seja dão-me a impressão de serem caseiros e o hamburguer não é borracha, é carne da boa! Desta vez, tive a oportunidade de experimentar o X-Burguer, que penso que é um hambúrguer bem simples para quem começa a medo no Honorato e não quer pagar mais de 10 euros por uma refeição.

Por isso, já sabem, se viverem no centro de Lisboa, aconselho vivamente o Honorato de Telheiras, pela localização estratégica e belo serviço.

Likes

Comments

#1 Um filme

Gattaca

Num presente cada vez mais cientificamente evoluído, pensa-se que os genes são a chave para um maior conhecimento do ser humano, das suas qualidades, mas também das suas fraquezas, as doenças que o reduzem. Mas serão os genes, de facto, merecedores de tal título? Poderemos nós apostar toda a nossa confiança na predictibilidade do nosso código genético? Pois bem, este é o filme que vos responde a estas duas questões. Vejam, nem que seja pela grande participação do Ethan Hawke, um dos queridinhos de Hollywood ("Before" movies, remember?)


#2 Um videoclip

Sandcastles, Beyoncé


Para muitos de vocês, esta música já não deve ser assim tão desconhecida, porém tenho a ligeira sensação que este foi um dos temas do álbum Lemonade que não foi assim tão comercializado, ao ponto de nunca o ter ouvido uma vez na rádio sequer. No outro dia, estava com a minha mãe no carro dela e voltei a ouvir esta música, do início ao fim. (p.s: quando for grande, quero ter um carro que só passe beyoncé, tal e qual o da minha mãe 😄)

A voz da Bey sempre foi algo especial para mim. É bastante serena, confiante e, sobretudo, terapêutica. A minha parte favorita das suas músicas é sempre aqueles 10 segundos antes da música começar em que ela nos descreve o que está a sentir, como se estivesse a ler o seu próprio diário, acho isto tão intimista e mentalmente poderoso para quem começa o dia a ouvi-la. Experimentem.

Quando uma miúda cheia de estilo e humor e um blogger amoroso se juntam, dá nisto. Confesso que me custou um pouco a entrar neste mundo dos podcasts, que na verdade tem sido muito explorado por youtubers e bloggers, na medida em que estende os conteúdos que têm para nos oferecer, numa outra plataforma, que não o texto ou o vídeo. Acho uma estratégia inteligente, que by the way está recentemente a ser usada pela bela Estée Lalonde. (ouçam aqui)

Mas, voltando a este podcast, ouçam-no. É português, fala sobre os drama dos 20, é divertido, é intimista, é tudo que se quer ouvir enquanto se vive a vida. Não se vão arrepender.

p.s: para quem não sabe, o blogger amoroso é o Fred, do blog We Blog You e a miúda cheia de estilo e humor é a Inês Afonso, a irmã da blogger Joana Afonso, do blog We Are Love Addicts.


#4 Uma série

New Girl


Se procuram uma comédia que resuma o vosso conflito emocional diário, esta é uma daquelas super recomendações. É difícil não me rir à gargalhada nos 20min de cada episódio e ela é uma ótima série por esse motivo: tem puro humor em tempo record. Perfeita para quem está agora a começar o semestre e não quer distrações de 1h (R.I.P Westworld).

Para quem conhece: quão incrível é o Schmidt? É a minha personagem favorita, é bom ao ponto de eu ter uma pasta no meu telemóvel dedicada às falas dele. 😝

(review Imdb)

Likes

Comments


#1 Uma série

SKAM


Eu já vos dei 1001 argumentos para assistirem a SKAM mas nunca parecem ser suficientes. Eu juro que esta é a melhor série para jovens que eu já tive o privilégio de assistir. Apesar de a cultura norueguesa ser um poucochinho diferente da nossa, há muito na vida dos adolescentes, jovens adultos, que nos é semelhante, daí que eu ache que se vão encontrar na série. Se quiserem ler mais sobre esta série norueguesa - que finalmente chegou ao Tugaflix, diga-se de passagem *cough* *cough* - aqui está um post meu sobre ela.


#2 Uma conta de instagram

AKA LUCHE @temps__mort


ADORO ESTA CONTA. Descobri-a recentemente e foi esta a imagem que me apaixonou. Acho que me descreve muito bem: o amor pela cor vermelho, nas unhas sobretudo e, claro, pelas Mom Jeans!


#3 Um livro

The Unabridged Journals of Sylvia Plath


Se eu algum dia escrevesse um livro, este seria o tipo de livro. São bocados dos diários que Sylvia Plath - uma mega escritora que eu desconhecia, confesso - escreveu ao longo da sua vida e são entusiasmantes de ler porque revelam um grande talento numa idade bem prematura da escritora. As suas palavras são muito maduras e entram em completa sintonia com o que, por vezes, parece ser o cenário da minha vida. É bom eu abrir uma página num determinado dia e saber que aquelas palavras poderiam ser as minhas, chego a conseguir analisar-me profundamente após ler um único parágrafo. Sylvia Plath, és a minha terapeuta diária 💘

Este é o site! É bem simples: contém todos os tipos de letra de todos os filmes que possam imaginar, por ano. É só clicarem num ano e voilà descobrem as fontes dos títulos cinematográficos que mais vos fizeram suspirar. Muito amor por este site, recomendado por uma das minhas youtubers favoritas, Sophia Lautert. 🌻

Likes

Comments


#1 Uma música

just cause we all were silly girls once



#2 Uma série

T H E H A N D M A I D' S T A L E

Eu juro que ganho contraturas no pescoço quando vejo esta série. Estou a começar a digeri-la como deve ser, já me informei sobre a sua mensagem e acho que devem fazer o mesmo após verem o primeiro episódio porque caso não o façam irão sentir-se um pouco perdidos.

Para começar, alguns factos:

#1: isto é uma distopia

#2: o principal tema abordado é os direitos da mulher, porém perceberão outras críticas importantes à nossa sociedade atual

#3: a série é baseada num livro "The Handmaid's Tale" escrito por Margaret Atwood que, por sua vez, tem uma participação mínima na série (Tarantino, are you listening?)

#4: a série é alvo de milhares de comentários pelas redes sociais, sendo comparada a uma possível realidade próxima que advirá da presidência atual norte americana (grab them by the pussy??)

Se quiserem saber mais, leiam isto.



#3 Um filme

R U S H M O R E, de Wes Anderson

Eu sou-vos muito sincera, eu não morri de amores por este filme. Eu morro é de amores por Wes Anderson. Rushmore não me trouxe muito de novo ao meu estado atual, trouxe-me uma bela quote em latim "nihilo sanctum estne?" (=is nothing sacred?) mas de resto aborreceu-me. Gostei das personagens, porém a arte cinematográfica no que toca à sua composição, fotografia e edição não me convenceu muito mas afinal estamos a falar de um filme de 98, para mim o Wes começou a aproximar-se da perfeição a partir do Royal Tenenbaums. Ainda assim, vi-o até ao fim!

E fica aqui um breve resumo da coisa: O adolescente Max Fitcher apaixona-se pela nova professora da primária na escola. Para conquistá-la, ele pede conselhos ao pai dos seus amigos, um milionário excêntrico. Porém, a situação complica-se quando o novo amigo de Max também se envolve com a professora, iniciando uma verdadeira guerra entre os dois.



#4 Uma figura pública

António Coimbra de Matos

Li no outro dia um entrevista integral deste psicanalista português e senti uma empatia. Formado em Psiquiatria no Porto, é um homem de risada fácil, de uma inteligência e capacidade de pensamento fora desta galáxia. Foi um prazer ter assistido a este documentário. Recomendo.


Likes

Comments


#1 Um vídeo

Keep Your Head Up Outtakes, by Ben Howard


se eu pudesse desenhar alguém para esta magnífica voz eu desenhar-te-ia, Ben.

também me casava, sem pensar muito.


#2 Uma youtuber

Cartia Mallan


Este é um vídeo curto e simples que me relembra porque comecei a gostar de acompanhar esta youtuber. Mas só se scrollarem pelo resto dos seus vídeos, conseguirão perceber o encanto de Cartia. Gosto do facto de ela dizer o que pensa, aliás acho que não sigo neste momento uma youtuber que fale mais daquilo que lhe vai na alma do que ela e que o partilhe de uma forma positiva e, também ela, encantadora. É claro que no seu canal podem encontrar alguns vídeos de 'how to get ready with me' que parecem ser idênticos a qualquer beauty guru mas é impossível descartar o talento de Cartia para falar de coisas que importam, aliás a maioria dos seus vlogs giram à volta disso mesmo, da sua opinião sobre a espiritualidade, o amor próprio e aquilo que é suposto merecer maior realce nas nossas comuns vidas humanas.


#3 Um livro

Northanger Abbey, de Jane Austen


A minha relação com Jane Austen está estabelecida em apenas 20 páginas lidas, para ser muito sincera. Ainda assim, é um livro - e principalmente uma autora - que tem vindo a fascinar-me. Cansa-me um pouco lê-lo, sobretudo pela linguagem, que por vezes foge do meu domínio do inglês e também pelas expressões arcaicas que me passam ao lado. É o único obstáculo que encontro entre mim e a vontade de o desfolhar, porque de facto já consigo detetar uma série de coisas na escrita de Jane, entre as quais: a ironia constante; a crítica à sociedade de então (século XVIII) e o uso do discurso indireto livre que eu pessoalmente gosto, acho que torna o texto sempre mais fluído e simples. Além disso, ler o livro em voz alta, com o sotaque mais britânico que eu conheço entretém-me e, por vezes, até me rio de mim própria a fazê-lo. É aqui que percebo que de facto Jane Austen passa a vida a "gozar" com as suas personagens, como se fosse a sua maioria crítica mas também a sua maior defensora. Talvez para quem já leu Jane Austen, isto que eu estou para aqui a dizer não é nada de novo mas para mim está a ser uma descoberta fascinante. Quero muito ganhar vontade para o acabar ainda neste Verão!


#4 Uma caneta digital?


Há uns meses atrás se alguém me falasse numa caneta digital para telemóvel ou tablet, eu não iria ver qual a utilidade que lhe poderia dar mas assim que comecei a fazer alguns desenhos no telemóvel, principalmente a experimentar diferentes caligrafias e a gostar de as ver nas minhas fotografias, percebi que talvez fosse a altura de investir numa, para expandir a minha criatividade. E posso sempre tirar ainda um maior proveito da caneta quando a faculdade chegar, uma vez que a posso usar para fazer notas no programa One Note que o meu computador (com função touch) tem. Vi uma na Worten que é da ASUS (compatível com o meu pc) e que custava uns 26e. Tenho visto outros preços mais assustadores de canetas que me parecem bem melhores do que esta última e, por isso, ando meia confusa. Coloquei esta ideia aqui num post de favoritos porque, apesar de não a ter em mãos, já a imagino um favorito e, sobretudo, um essencial diário. Que me dizem? Se tiverem alguma, podem por favor partilhar a vossa recomendação comigo, preciso muito. 😊💗 Obrigada!

Likes

Comments


#1 Uma música

Kodaline - Brother (Acoustic Version)


Quando apresentaram o seu novo single, Brother, confesso que me precipitei a tirar conclusões sobre o mesmo, achei que apesar de a música ser catchy e ter conteúdo, a banda tinha inovado pouco. Mas depois de ouvir esta versão acústica, declaro-me viciada. E "Em equipa que ganha não se mexe", não é verdade?


#2 Um programa de edição

Photogrid


Algumas pessoas têm-me perguntado como faço estas colagens que tenho partilhado pelo instagram e, na verdade, é bem simples! Uso este programa de edição há anos e ultimamente tenho-lhe dado o maior uso. O PHOTOGRID tem uma classificação de 4.5/5 no playstore e não é por acaso:

1. Edição de foto, com direito a filtros variados, adição de texto e de overlays.

Dentro desta função, os passos que eu mais sigo são os seguintes: adiciono a foto no modo "grade", escolho uma cor de fundo, enquadro a foto de modo a que ela fique sempre emoldurada, ou seja sem tocar nos bordos da imagem, de forma a que a foto possa "respirar" nos quadradinhos do instagram e depois utilizo a ferramenta "desenhar", escolho a espessura e a cor da caneta e é assim que adiciono a minha própria caligrafia à foto.

2. Edição de vídeo, com a possibilidade de recortarem o vídeo, adicionarem um clip de som e criarem um vídeo animado com fotos vossas.


#3 O melhor filme original da Netflix

Okja


Já classificado no Imdb com 7.5/10, Okja é um sucesso da Netflix. Depois de ver e ler sobre Okja em todo o canto, decidi que estava na altura de ver o filme e fi-lo no meu voo para Tenerife (defendo a teoria de que os melhores filmes são vistos quando estamos sozinhos, principalmente quando estamos num espaço tão nostálgico, a meu ver, como um comboio ou um avião, de certa forma parece que estamos a viajar a dobrar! experimentem 👉). O filme começa com a personagem bem bizarra da Tilda Swinton, à qual estamos habituados a associá-la nos grandes ecrãs e é logo no início que percebemos que ali está um bom filme, com ótimos visuais e com um argumento interessante: a possibilidade de se resolver um flagelo mundial, a fome, com a criação de Super Porcos - porcos geneticamente modificados - que prometem satisfazer as necessidades alimentares sem comprometer o ambiente. Até aqui, tudo parece alcançar a perfeição, não é verdade? O problema começa quando Mija, uma menina coreana que desenvolve uma relação especial com Okja, a Super Porca que lhe foi entregue, se vê na impossibilidade de ficar com ela. Parece uma historinha emotiva e infantil até mas irão ver que o filme traz uma mensagem forte e ela é bem clara: "Porque é que continuamos a comer animais?" ou então uma mais compreensível "Porque é que continuamos a matar animais desta forma por um simples entrecosto na beira do prato, um dia mais tarde?". O filme está bem conseguido porque faz com que nos metamos na "pele" de duas personagens, Mija e Okja, e é ao fazermos isso que sofremos e percebemos.

Vegans do mundo, se alguém mais vos perguntar porque raio se lembraram de o ser, mostrem-lhes este filme!

🌾🐷💘



#4 Um "debate"

"Um português e um brasileiro entram num bar", por Ricardo Araújo Pereira e Gregório Duvivier


É quase uma hora e meia de uma conversa entre o nosso tuga e o brasuca da Porta dos Fundos sobre tudo e nada. Parece muito tempo mas eu ri-me tanto que nem dei pelo tempo a passar. Não esperem apenas gargalhadas fáceis, o incrível desta conversa é que ela oscila entre o humor e a intelectualidade, faz-nos pensar sobre as nossas coisas e as dos outros, talvez algo sobre o qual nunca tenham sequer pensado e é isto que me delicia sempre no Ricardo Araújo Pereira. O Gregório confesso que não o conhecia tanto neste registo mas deixem-me que vos diga que também ele tem o seu potinho de inteligência e risada fácil. Bom para momentos de puro aborrecimento. 😉

Likes

Comments


#1 Uma música

She's So Untouchable, by Garden City Movement


Tenho ouvido sem parar!🎵💛


#2 Um blog, um canal de youtube, um movimento

The Messy Heads, por Emma Mercury


Este tópico é merecedor de menção há muito tempo! The Messy Heads é um blog criado por uma miúda, a Emma, que juntamente com o seu "squad" de amigas decidiu que estava na altura de mostrar como é ser-se jovem, da forma mais sincera que ela sabe.

Começou com um blog, onde registava o que pensava e passou para o youtube, dedicando uma série de vídeos chamada ⚡Retrograde⚡que começaram com a sua ida para LA. Ao início, só a seguia pelo instagram e apesar de adorar as fotos, não entendia o conteúdo de algumas, até que vi toda esta série de vídeos no youtube e passei a amá-la. Não só é artística na forma como edita os seus vídeos como também o próprio conteúdo é bem intimista.

Emma é sempre muito pessoal e sincera no que nos mostra e acho que foi isso que me fez apaixonar pela sua maneira de ver o mundo. Eu com os meus 21 anos consigo identificar-me com muitas das coisas que ela acredita e também com as dúvidas, os medos, as inseguranças. E é por isso que vos aconselho este blog, acho que nos ajuda a sermos mais nós próprios e a ter orgulho nisso, tenhamos a idade que tivermos! 💘


#3 Um programa de edição de imagem

ADOBE SKETCH


Foi com esta incrível app (disponível para iOS e Android) que eu pincelei estas duas imagens. Tem sido a melhor app que possuo! Posso escrever com a minha própria caligrafia nas minhas fotos, o que as torna bem mais autênticas. Experimentem! ✨


#4 Uma pérola daquelas

Vintage Makeup Tutorial from 1960


Likes

Comments

#1 Uma youtuber
Gemary


Encontro 3 interesses comuns muito fortes entre mim e esta youtuber: a fotografia, a caligrafia e a cor bege. Parece ridículo, mas de facto ela aposta no bege a tempo inteiro! Na decoração, na maquilhagem e no guarda-roupa. E eu tenho tido um genuíno interesse pelo tipo de conteúdo que ela partilha quer no youtube, quer no blog. Está também a fazer um bullet journal (que é só goals!) e realmente tem-me oferecido doses insanas de inspiração para recomeçar um.

#2 Uma comédia romântica
My Best Friend's Girl

Deixei-vos aqui este excerto propositadamente porque acho que o trailer revela demasiado e não é esse o pretendido para quem quiser ser surpreendido pelos puros momentos de comédia que aqui vão. O meu realce vai para os dois atores principais Kate Hudson e Dane Cook que têm uma dinâmica incrível no ecrã.

Aqui vai um bocadinho da história: Um amigo de Tank pede para que ele convide sua ex-namorada para um encontro. A ideia é fazer com que tudo saia errado e ela veja como o ex-namorado era maravilhoso. Porém as coisas não acontecem como o planejado.

#3 Um bikini ideal
da Sport Zone

Na corrida ao melhor bikini, cansei-me. Desde a Primark à Tezenis e à Calzedonia, nada parecia confortável, nem para o corpo nem para o bolso. Num momento de desistência, dei de caras com estes bikinis da Sport Zone e fiquei muito surpreendida quer com a qualidade do bikini como com o preço. Adquiri este lindo bikini cor toranja (uma cor que eu ando a adorar, como já puderam perceber aqui) que é muito desportivo, assenta bem onde deve assentar e, juntamente com as cuecas, ficou por cerca de dez euros. E o bom é que na Sportzone a venda nunca é feita inteira, ou seja, podem comprar o top e a parte de baixo do bikini separadamente, ultrapassando problemas de monotonia de cor ou de preço.

Vejam aqui a coleção de bikinis da sportzone.


#4 Uma playlist

 ~
E uma playlist não podia faltar! Deixo-vos esta que encontrei estes dias pela Internet e deixem-me que vos diga que está brutal, adorei todas as músicas que ouvi até ao momento e não conhecia nenhuma.

Likes

Comments