Pensamos numa aranha como um ser perfeito, imaculado e até um pedacinho arrogante. Parece ter o seu percurso de vida - literalmente - bem traçado. E vemos isso pelas suas gloriosas e estrategicamente bem definidas teias. Mas e se... um dia... a tei…

Design your blog - select from dozens of ready-made templates or make your own; simply “point & click” - Click here

  • 0 Readers

Likes

Comments

Não costumo fazer um post dedicado aos meus favoritos do mês, mas este mês vem especialmente carregadinho de coisas boas. Hoje trago-vos três favoritos , que vão direitinhos para a minha lista de essenciais diários . A mala preta. Já vos tinha fala…
  • 0 Readers

Likes

Comments

28/3/1996: Two beautiful and lucky twins were born. "Vou fazer 20 anos." Tenho repetido esta frase na minha cabeça, vezes e vezes sem conta, esta semana. É verdade. E ao passo que há um ano atrás me "queixava" de não me sentir adulta, a verdade é q…
  • 0 Readers

Likes

Comments

makeup
Uma pele é feita de muito mais do que simples produtos. Químicos são apenas isso e a única verdade é que devem ser usados como complemento de outros hábitos, como por exemplo o cuidado com a alimentação. Porque acreditem que nenhum creme é milagros…
  • makeup
  • 7 Readers

Likes

Comments


Estas são as quatro músicas que têm feito parte da minha playlist ultimamente. Têm todas estilos diferentes, mas são igualmente incríveis. Trazem a calma da Primavera, aproveitem!

I AM MINE, Beta Radio // DON'T WAIT, Mapei // COISA LINDA, TIAGO IORC // BARCELONA, George Ezra 

Design your blog - select from dozens of ready-made templates or make your own; simply “point & click” - Click here

Likes

Comments



A verdade é que o separador #streetstyle está cada vez mais preenchido e eu estou a gostar imenso deste novo rumo que tenho dado ao meu blog. Afinal, o estilo é também uma grande parte da nossa personalidade e, num blog dito intimista, esta rubrica faz todo o sentido para mim. Ultimamente, tenho pensado em diferentes outfits que combinem com as minhas Yeezy. E não, não vendi nenhum rim para comprar as imaculadas Adidas, mas tive sim uma grande sorte em ter encontrado umas idênticas numa feira semanal que acontece na minha cidade. Foi divino o momento em que as vi e agradeço à minha mãe, todos os dias, por as ter descoberto.

Como sabem, eu deliro com tons pastéis: desta vez, decidi escolher como protagonista o cor-de-rosa bebé. E aqui está um conjunto perfeitamente aceitável para esta transição de estação, em que ainda há vento a correr por entre as ruas, mas o sol já nos manda andar de sapatilha no pé.

Confesso que odeio meias estações. Aliás, nunca tenho roupa que satisfaça esse período, nem tonalidade de pele que acompanhe o aparecimento de um belo solinho e tudo isto me irrita, acreditem. Mas esta parece-me uma boa solução, nada aborrecida, super confortável e o mais importante: acessível.

Likes

Comments


Decidi que estava na altura de alargar horizontes no que toca à minha paixão por fotografia. Continuo a adorar o instagram, é claro, mas a minha partilha de fotografia fora do contexto"lifestyle" fica muito limitada nesta rede social. E é por isto que decidi fazer o que já tinha pensado há muito: criar uma conta no Flickr.

Ainda só tenho um álbum online, que mostra uma visita minha à capital nortenha, mas podem esperar muito mais daqui para a frente. Vejam tudo aqui

Likes

Comments

Esta primeira semana de faculdade foi muito boa para mim. Percebi que vou ter um semestre esforçado, mas motivante. Vou aprender coisas incríveis! Este semestre é dedicado às Neurociências e nele se integram cadeiras como neurofarmacologia, neuroanatomia, neuropsicologia e neurofisiologia. Tudo neeeeeuro! Pela primeira vez, no meu curso, vou ter a oportunidade de explorar temas relacionados com a saúde mental e, igualmente importante, o desequilíbrio da mesma.

Apesar de todas estas cadeiras me terem deixado já curiosa, houve uma em particular que começou já a ter efeitos em mim. E essa cadeira foi neuropsicologia. Tivemos uma aula com um psicólogo, que vai ser o nosso tutor nas próximas semanas. Foi uma aula diferente. Pela primeira vez, senti que uma  aula prática foi mesmo prática! Sem livros e apontamentos a mais. Baseou-se numa só pessoa a falar-nos do que sabe e a transmiti-lo da melhor forma. Ensinou-nos alguns truques e técnicas que devemos ter em consideração quando estamos a falar com um utente (detesto esta palavra) que tem realmente um problema de saúde mental. Fizemos ainda uma entrevista com pessoas reais, utentes do nosso tutor, cujos pormenores não posso descrever aqui, tendo em conta o sigilo profissional que sabemos que temos de preservar, mas posso dizer que foi bom tê-los lá, observá-los como pessoas reais, com histórias passadas marcantes, definidoras de percurso até e, ainda muito futuro para viver.

Neuroanatomia. Eu não sei se alguma vez vos falei por aqui desta minha opinião, mas eu nunca achei que Anatomia fosse uma cadeira "para se gostar". Pelo menos não para mim, que não sou particularmente fã dos pormenores - às vezes, muito ridículos e sem utilidade alguma na nossa futura prática clínica - que a cadeira sublinhava e explorava. Mas aprendi a gostar da anatomia funcional e daí ter adorado as primeiras luzes de Anatomia Clínica do semestre anterior. Neuroanatomia está a parecer-me mais funcional também e menos chata. Menos pormenores e mais noções, conceitos do que é o quê. Ao passo que na anatomia descritiva - a do primeiro ano - estudamos o sistema nervoso periférico e alguma parte do sistema nervoso autónomo, incluindo os terríveis pares cranianos, este ano vamos explorar o sistema nervoso central, que inclui encéfalo (no qual está contido o nosso lindo e brilhante cérebro!) e a medula espinhal. Esta primeira semana fiz já uma apresentação sobre o lobo temporal e correu lindamente. Os meus monitores são muito acessíveis e simpáticos e o meu assistente, que ainda não conheci pessoalmente, mas já tive a oportunidade de assistir a uma aula teórica dele, também me pareceu um bom professor, muito claro no seu discurso e dinâmico.

Biopatologia. Tengo un maestro mexicano. É verdade! Senti-me num episódio de CSI Miami, naquela parte em que estamos literalmente a dois passinhos da morgue e o anatomopatologista refere que a pessoa morreu de um espirro. Foi uma aula... nada expectável. Desde testículos a úteros em formol, as coisas que mais me espantaram foram a cor e textura de um testículo em necrose hemorrágica e o tamanho real dos orgãos: o rim bem maior do que estava à espera e o útero muito pequenino. Do meu assistente, detetei doses elevadas de sentido de humor, o que por si só já diz alguma coisa de positivo acerca de qualquer pessoa. Disse-nos: "De mim, só precisam de saber que sou mexicano e que quando me zango falo em mexicano e demasiado depressa. Por isso, aviso-vos já que não vão perceber nada." Eu ri-me. A ver se me continuo a rir daqui para a frente.

Likes

Comments


E pronto, rendi-me a mais uma fashion blogger: esta é espanhola e chama-se Sara. Apresento-vos a minha seleção de alguns dos looks mais effortless e inspiradores dela. 

A principal razão pela qual gosto desta blogger é o facto de podermos olhar para estas fotos incríveis e, de imediato, pensarmos em peças do nosso próprio armário que poderiam dar o mesmo efeito ao nosso visual. E, aos poucos, conseguirmos construir um look diferente, com as mesmas peças, sem termos que gastar sequer um cêntimo. Basta focarmo-nos nos três pontos fortes da sua personalidade fashionista, tais como: o batom vermelho, os casacos longos e confortáveis e as bolsas de traçar. 
Ignoremos os granny shoes - que acreditem, não é a minha tendência favorita - e detetemos a maquilhagem natural, com todo o foque nos olhos e lábios, e claro, os penteados românticos: as tranças e os apanhados.


Estas duas imagens são o exemplo perfeito de conjuntos que nunca me passaram pela cabeça e isto é que é incrível e de, certa forma, útil para os dias em que já só vemos à nossa frente um montão de roupa repetida e saturada de ser usada: por um lado, a combinação azul bebé, preto e bege, que achei fan.tás.ti.ca. E, por outro, um laranja pastel com um rosa bebé e, mais uma vez, os apontamentos de bege. Laranja e rosa...! Quem diria que eu ia gostar tanto de ver estes dois tons juntos. 

Obrigada Sara, por seres maravilhosa nas tuas escolhas e por dares sempre um toque divertido aos outfits que usas. A comunidade feminina agradece!


Podem segui-la no instagram (@collagevintage) e ainda no site pessoal.

Likes

Comments


Com o meu pai, a coisa mais difícil de se fazer é tirar-lhe uma foto. E por isso, nestes dias tenho que ir sempre ao baú. Neste caso, recuei mais de metade da minha vida e dedico-lhe esta foto, tirada num sábado de manhã (dia de ir para o trabalho mais tarde, na altura, e o meu dia favorito, agora). Gosto de o lembrar que ele não é só pai, nem marido, nem dono de café. É mais. É tudo o que sonhou desde pequeno e tudo o que pode continuar a sonhar. O meu pai é distinguível por ser um pai que sempre acreditou em nós, desde muito cedo, e pelo mesmo motivo. Por nos conseguir ver como seres individuais. Por nos levar a sério: nas nossas opiniões e decisões. 

Com ele, aprendi a ser melhor. A não deixar que ninguém me faça sentir o contrário. E a saber defender-me quando isso acontecesse. O meu pai é uma pessoa de objetivos. Acho que o que o melhor define é a sua capacidade de pensar em situações difíceis, de tomar decisões quando toda a gente já está a dramatizar e, ainda mais, por conseguir ver as coisas a longo prazo. Utilizando uma das suas citações preferidas, é uma pessoa que "vê mosquitos na Austrália". 

Eu sou muito o meu pai. Ainda que tenhamos opiniões bastante divergentes, que por vezes se transformam em autênticos debates à mesa, nós convergimos em tantas coisas. Somos (quase sempre!) a favor da ciência, adoramos fotografia e tecnologia no geral e fascinamo-nos pelas histórias do mundo. Somos muito isto: contadores de histórias. Gostamos sempre de chegar a casa com uma novidade para contar. Gostamos de rotinas. Somos pessoas que não se contentam com pouco, nem na nossa própria vida, nem nas pessoas que nos rodeiam. Exigimos muito delas e sabemos isso. Mas também damos grandes partes de nós em troca. E quando sentimos que não há retorno, temos ainda a capacidade de desvincular rapidamente. Como se estivéssemos treinados para combater isso. 

"Pensamos muito." Às vezes, pensamos demais, é verdade. Conspiramos um bocado. Temos aquele vício enorme de procurar o pior nas pessoas e só depois as aceitarmos. Mas somos assim. E são partes como estas que fotografam o nosso caminho. Aceitamo-nos como somos, exatamente por sermos os dois, em conjunto, muitas destas coisas.

Tenho muito orgulho nele. E acho que ele o sabe. Mesmo sem estes textos ou o típico Feliz Dia do Pai, Papá, ele sabe que nós o vemos como o exemplo


P.S: Tenho a certeza que ele vai adorar o facto de ainda ter cabelo nesta foto. Ah e, para o caso de abrires este link agora mesmo papá, logo há bolo.

Likes

Comments


Hoje venho falar-vos de 2 malas "especiais", da nova coleção da Parfois. Não sei se conhecem a marca Bimba y Lola, eu mesma não a conhecia há uns meses atrás, mas resumo-vos a coisa: é uma marca espanhola que é conhecida, essencialmente, mas não só, pelos seus acessórios. Lindos de morrer, com uma autenticidade divina e claro... pouco acessíveis.

Mas hoje, minhas amigas, hoje! Trago-vos a solução. Também ela divina. E chama-se: Parfois. A Parfois, por fruto de coincidências ou não, tem uma nova coleção de malas... (como é que eu hei-de pôr isto numa frase?) um pouco... bimba y lolescas

E estas duas que vos mostro chamaram-me muito à atenção, por serem super semelhantes a umas malas de edições antigas da marca espanhola. Mala de traçar Camelot (24.99€) | Mala de traçar Bloom (19.99€)


Agora...shhh! Não digam a ninguém que vos contei o pequenino segredo da Parfois. Que sejamos sinceras... agora é todo nosso.

Likes

Comments


De volta à faculdade, de volta às minhas rotinas da categoria #slowliving. Para esta semana, quero (mais) isto, mais vezes. 


Tempo para as minhas séries. As melhores deste momento são How to Get Away with Murder e Grey's Anatomy. Ainda estou a digerir alguns episódios de HTGAWM e a festejar uns outros tantos de GA. 

Tornei-me a rainha dos chás. E continuo fiel a estes tranquilizantes naturais. São tão bons e reconfortantes, tão amigos da alma. Quando bebo um chá, sinto-me a despejar toneladas de micropreocupações pela janela fora. Não sei o que a fisiologia em mim dirá acerca disto, mas que ela melhora quando preparo uma chávena bem quente de chá de camomila, lá isso é verdade.

Uma música para a semana. Ouvi-a num vídeo desta minha recente youtuber favorita e apaixonei-me. Ouçam-na aqui.

Tempo para a pele. Tempo para mim. O que inclui desmaquilhar a minha pele, tonificá-la e hidratá-la. Ando a mudar um bocadinho as coisas neste departamento. E um dia, falo-vos mais sobre isto. Mas deixo aqui o incentivo de não irem para a cama sem antes tirarem "o dia" da vossa cara. Uma pele saudável é meio caminho andando para um acordar mais leve. Garanto-vos.


Tenham uma semana do caraças! Ah, e amanhã diz que há chuva por Lisboa, ignorem-na e sejam felizes à mesma.

Likes

Comments



No que toca a cuidar dos meus lábios, gosto sempre de manter as coisas simples e, na hora de sair de casa, só estes dois essenciais vêm comigo na mala: o meu hidratante labial e um batom cor "lábio". Nunca falham. 

Admito não ser uma pessoa que adore pintar os lábios. Ora porque detesto a sensação do cabelo a colar-se a eles, ora porque há dias em que o mood para o fazer simplesmente não está lá. Mas sou muito feminina, desde que me conheço, e gosto de realçar as melhores partes de mim. 





O hidratante da Labello (na cor nude) é um 2 em 1: confere o brilho discreto e necessário sem parecer demasiado glossy e eu diria que tem um período de hidratação agradável, sendo que permanece nos lábios durante uns 30-40min. E o cheiro. Não o sei descrever, mas é um ponto a ter a favor deste labello. Podem facilmente encontrá-lo em hipermercados, como o pingo doce, por exemplo.

Já o Lip Crayon ajuda-me imenso nos dias em que quero fazer mais um bocado pelo meu #superwomanlook, mas não quero, de todo, andar a retocar os lábios de hora em hora, que é o que acontece quando escolho um batom vermelho mais arrojado, que acaba por ser bonito, mas cansativo de se usar. Este lip crayon, nesta cor, é tudo menos cansativo. Apesar de na fotografia, parecer um pouco alaranjado, ele dá mesmo um tom rosa natural aos lábios, sabem? Eu diria que o acabamento que ele deixa ficar nos lábios está entre um batom nude e um batom à Kylie Jenner. Podem vê-lo em pormenor, bem como explorá-lo noutros tons, neste link.


Rotinas simples, mas essenciais. Gosto de as manter assim!

Likes

Comments


Venho do futuro e trago-vos o vosso delicioso pequeno-almoço de amanhã: a mais simples e incrível papa de aveia de cacau




Vão precisar de:

  • Flocos de aveia
  • Cacau
  • Leite
  • Mel
Estes 4 ingredientes são essenciais. O resto é criatividade.

O meu resto:

  • Coco desidratado
  • Amoras



P R O C E D I M E N T O

1. Numa panelinha, vão colocar a quantidade de aveia que vos apetecer. Ela é que dita o resto do prato. Eu fiz pequeno-almoço para dois dias, por isso coloquei cerca de 8 colheres de aveia. De seguida, adicionem o leite. Cá em casa, andamos a experimentar leite sem lactose, que tem algumas propriedades favoritas a este prato, essencialmente por ter pouco sabor. É o elemento certo para conferir todo o protagonismo à aveia e ao cacau. Mas vocês adicionam o leite que preferirem. Encham a panela de leite até cobrir toda a aveia. Nem mais, nem menos. O objetivo é que todos os flocos absorvam o leite e, por isso, este passo é fundamental para que as papas fiquem com a textura certa.

2. Coloquem a panela a lume médio. Caso estejam com pressa, podem colocar o lume alto, mas não se esqueçam de ir misturando. À medida que a coisa se torna numa papa, que já se agarra à vossa colher, podem ir baixando o lume. 

3. Este é o momento certo para o cacau entrar em cena. Adicionem cerca de 5/6 colheres de cacau. Isto dependerá também do vosso gosto. Mas eu acho que esta quantidade está perfeita. 

4. Misturem tudinho e desliguem o fogão. Agora que temos a base das papas, temos que lhe adicionar sabor. E o que melhor do que mel para adocicar as vossas manhãs? O mel, como sabem, é um adoçante natural, que vai casar lindamente com estas papas. Digo-vos que, se não soubessem que as papas levavam mel, não saberiam que o estavam a comer. Ele é imperceptível, mas imperdível neste maravilhoso prato.


E agora é só adicionarem o que vos apetecer. Eu acrescentei a acidez de quatro amoras para contrabalançar o doce das papas e ainda as polvilhei com coco desidratado. Chamo a isto confort food



Sugestão: Se não quiserem cozinhar as vossas papas, façam as chamadas papas de aveia adormecida. Só têm que, no dia anterior, colocar num frasco de vidro (ou num recipiente qualquer) o leite, a aveia e o cacau. Só isto. Levam isto ao frigorífico. No dia seguinte, vão notar que a aveia absorveu a maior parte do leite. Levem convosco para o trabalho ou para a faculdade. E tragam um bocadinho de mel convosco ou adicionem-no assim que forem ao frigorífico de manhã. À hora do lanche, é só usarem a a magia do vosso microondas e... ficam com umas papas acabadinhas de fazer!

Likes

Comments