here
Estava um dia de chuva e frio horrível. E nestes dias, já se sabe como se mata a frustração. Com chocolate . Obrigada por existires, divino ser. O novo franchising que abriu na minha cidade: Woddy's Waffles Shop pareceu uma boa solução para este di…

Design your blog - select from dozens of ready-made templates or make your own; simply “point & click” - Click here

  • here
  • 8 Readers

Likes

Comments

Muitas foram as coisas que, ao longo destes anos de blogosfera fui guardando no meu separador mental "Como ser Blogger" . E como sharing is caring aqui estão algumas ideias que podem ajudar-vos a melhorar as vossas publicações cheiinhas de potencia…
  • 2 Readers

Likes

Comments

Foram os 19. De certeza que a culpa foi dos 19. Neste último ano de vida que passou por mim, muitas foram as coisas que, de repente, me começaram - muito disfarçada e suavemente - a ser exigidas pela sociedade.  Este foi um início um bocado sério d…
  • 2 Readers

Likes

Comments

O meu primeiro estetoscópio! yeeeeei

A verdade é que tenho andado um bocado atarefada estes dias, mas isso não me podia impedir de partilhar convosco o riscar de mais um desejo, o avançar nesta minha etapa de mini médica. Desde o início que sabia pouco sobre aquilo que queria num estetoscópio, a única coisa de que tinha a certeza era que não queria um estetoscópio com "cor única". Essencialmente por achar que a probabilidade de alguém na faculdade ter um estetoscópio cor de vinho (primeiras ideias para a cor, no primeiro ano), por exemplo, era enorme. E não é que eu tenha uma espécie de mania de deter toda a exclusividade que existe no mundo, mas a ideia de muita gente andar semelhante, com uma coisa que é tão nossa, tão especial, fazia-me alguma confusão (a mim. É claro que cada pessoa tem os seus gostos particulares e pode nem perder 1% do seu tempo a preocupar-se se o vizinho do lado também tem o mesmo gosto). Mas bem, feitas as análises, até hoje, não vi sequer uma pessoa com este estetoscópio e, mesmo que veja, não me entristece, porque sei que não é uma coisa comum, nem tão pouco a cor me aborrece. Aliás, estas cores fascinam-me!

Ainda que se sintam tentados a pensar que ele é dourado (porque as luzes da fotografia ajudam a pensar que sim), ele na verdade é composto por duas cores: castanho e uma espécie de bronze que se assemelha muito ao dourado, nesta foto. São cores que me identificam imenso. Se eu pudesse escolher uma só palete de cores para vestir para o resto da vida, essa seria uma palete nude. Com tons térreos e quentes. 

O primeiro dia em que o usei foi na segunda-feira, dia 22/2/16. E que bem que me senti. Posso mesmo dizer que foi a melhor segunda-feira da minha vida! Senti-me a mesma Inês, mas crescida, como se de um segundo para o outro (e é claro, com ainda algumas limitações no uso do estetoscópio) eu fosse um pedacinho mais médica. Acreditem que mesmo depois de ter concluído este primeiro semestre (bem violento), do qual tenho muito orgulho, nunca uma sensação deste tipo - de realização pessoal - me assolou. 

Estou no caminho certo, com os acessórios certos. 

Design your blog - select from dozens of ready-made templates or make your own; simply “point & click” - Click here

Likes

Comments


Diariamente, sinto-me inspirada por diversas mulheres. Pelos mais variadíssimos e simples motivos. Mulheres essas nas mais diversas áreas, de diferentes nacionalidades e com visibilidades também elas muito diversas. E a única coisa que as separa (a maioria) de mim é o corredor da fama. Se eu gostava de ser famosa? Não. Tenho a plena certeza de que não seria nada feliz se assim fosse. Ainda assim, é normal que a fama e as pessoas por detrás dela, me suscitem algum interesse. Aliás, para mim, trata-se de puro entretenimento o acompanhar as suas vidas e sentir-me bem com aquilo que cada uma delas representa. 

Fiquem a conhecer as personalidades mais aleatórias com quem me identifico.



Se eu fosse...



eu seria a Sona Gasparian. E aviso-vos já que isto pode parecer estranho, mas identifico-me com ela principalmente pelo facto de ter uma estrutura facial e tom da pele idênticos aos meus. E deixem-me que vos explique que isto é muito importante para mim quando quero, de alguma forma, recriar alguns dos looks que estas makeup gurus nos ensinam. Na minha opinião, fica muito mais fácil deixar-me inspirar por um look ou uma maquilhagem que assenta na perfeição numa pessoa mais parecida comigo, a nível físico. Ela é morena, tem olhos castanhos e não parece ser muito alta, nem exageradamente magra. Chamo-lhe "a semelhante" perfeita para seguir, no youtube.


eu seria a Ana Marta. Já o disse uma vez nesta publicação, mas volto a dizer que se eu tivesse um canal de youtube, ele seria assim. A Ana Marta é (mais) uma portuguesa a aprender a viver em Londres e mostra-nos isso tão bem. Como a Leonor, do Dancing Shoes, já tinha referido, a verdade é que esta youtuber edita os vídeos de uma forma extraordinária. É estudante de design gráfico e já tem alguns trabalhos, bem incríveis por sinal, publicados. Admiro-a e, enquanto estudante-fora-de-casa identifiquei-me muito com este vídeo que ela publicou recentemente. Um dia, falo-vos mais sobre esta minha experiência.



eu seria a Jules. Tudo o que precisam de saber sobre esta minha paixão está AQUI.




eu seria a Catarina Gouveia. Como não incluir esta mulher incrível aqui? A Catarina é, de facto, uma "figura pública" a seguir. Toda ela é: bons ideais, contando com positivismo, energia e paixão pela vida. E podem perceber tudo isso se a seguirem no snapchat (categouveia). Para quem não sabe, a Catarina é uma atriz portuguesa e segue um estilo de vida muito saudável: a nível físico e mental, diria eu. E além de tudo isto, considero-a humilde. E tudo porque se dedica realmente a responder a todas as pessoas que, de alguma forma, a admiram e fazem questão de o demonstrar nas suas redes sociais. Por tudo isto, se eu fosse uma figura pública em Portugal seria esta miúda, com certeza.



eu seria a Mafalda Beirão. Há muito que denuncio pelo blog o gosto que tenho em seguir O Malmequer. É um blog generalista que muitas vezes me faz repensar no meu guarda-roupa e me dá muitas ideias de como conjugar certas peças em determinados dias. Além disso, sugere-me sítios incríveis, principalmente sítios para se conviver e comer bem em Lisboa. O Malmequer mantém-me também muito informada acerca de edições limitadas de certas marcas de maquilhagem e, ainda que a minha carteira não tenha um fundo mágico, são esse tipo de posts que me fazem suspirar por aquela prenda mais especial que, um dia, quem sabe, me poderei vir a oferecer.




eu seria a Shima(?) A verdade é que esta é a categoria mais aleatória de sempre e de, facto, sei muito pouco acerca da utilizadora desta conta. Mas o que é certo é que estes dias estava a vasculhar aquela secção de contas aleatórias no instagram e, de repente, vejo uma foto bonita. Entro na conta e começo a perceber que todas as fotos são sobre comida (bónus), rotinas (bónus extra) e ainda começo a perceber que se trata de uma conta de uma estudante de medicina. E acreditam que o percebi pela quantidade de folhas que a Shima colocava nas suas fotos?! Pensei instantaneamente, sem outra pista: A medlife apanhou-te, sista. E entretanto, olho para o banner da conta e refere lá que ela é mesmo estudante de medicina. E pronto, não vos trago nada de especial, mas as fotos são bonitas, o motivo pelo qual a encontrei e a quero continuar a seguir também é válido e, por isso, aconselho-vos mais esta para a lista de pessoas a seguir!




eu seria a Filipa Gomes. Já sabem que tenho uma paixão enorme pelo 24 Kitchen. Cá em casa somos todos gulosos e adoramos ver programas de culinária porque sim, nos tempos livres. Todos nos deliciamos mas é claro que só a minha mãe é que aponta todos os passos, de forma religiosa, para recriar, mais tarde. A Filipa não sabe mas já me ajudou muito em momentos bem stressantes da minha vida, como foi o caso das tardes de Janeiro aprisionada em minha casa a estudar para os exames finais de semestre. Usava a voz - motivadora e feliz! - dela para me alegrar o estudo e garanto-vos que funcionou. Para quem detesta estar sozinho em casa, a Filipa é a solução perfeita. E claro que não posso deixar de falar nos petiscos que faz. O que eu mais adoro é o facto de me sentir capaz de realmente recriar algumas das suas receitas pela forma como é acessível no seu discurso. Aliás, já o fiz AQUI se quiserem relembrar estes belos ovos Benedict, e também já vos sugeri mega pequenos-almoços, todos eles inventados pela pin-up girl mais genuína da nossa tv.

Likes

Comments



Desde que soube que a Miss tinha chegado ao Porto, que soube que a tinha que visitar. A faculdade foi a culpada por não a ter visitado mais cedo, é claro. Porém, neste fim-de-semana resolvi tirar-lhe as culpas (finalmente!) e, numa tarde de sexta-feira solarenga (das mais fantásticas deste Inverno) provei a dita cuja.

Nhami é a melhor palavra para iniciar esta impressão gastronómica de uma coisa... inicialmente pouco gastronómica?! Ora vejam lá se sabem a que me refiro...




 começando pelo E S P A Ç O.




 apaixonei-me por estas chávenas!

Entram na loja Almada 13. Sim, ouviram bem. Loja. Que não tem Miss Pavlova escrito em lado nenhum, exceto na entrada num pequeno cartão redondo (que passa despercebido), que indica a presença da dita cuja. 

Ao entrarem, vão deparar-se com uma autêntica exposição de coisas bonitas disponíveis para venda: quadros bonitos, bijuteria sofisticada, óculos de sol e ainda YANKEE CANDLES. Sim, nunca pensei encontrar estas velas à venda neste sítio. Mas estão lá! (Com aqueles preços horríveis, mas estão.)
Além disto, é uma loja diferente, por vender imensos artigos vintage e ainda peças para decoração da casa. 

Muito bem Inês, mas e a Miss? Onde raio anda a Miss Pavlova no meio desta coisa toda? A Miss está bem lá no fundo da loja! Aí sim, veem um cartão que vos indica que chegaram ao vosso destino. A pastelaria é pequenina. Mas, de certa forma, suficiente. Não nos sentimos, de todo, sufocadas. Tem um ambiente descontraído, com paredes enfeitadas com estes quadros bonitos que vos mostrei, com ilustrações únicas que representam cada bolo que têm no menu. 


A PAVLOVA!




Soube tão bem rever estas fotos. Acreditem que a única coisa que tenho a dizer sobre isto é: No fim de comer a minha fatia, já só me sentia tentada a pedir outra.

A verdade é que já ia com o meu trabalho de casa bem feito e, por isso, sabia bem que o Floresta Negra era a pavlova a pedir, por ser o "mais típico da casa" e eu nestas situações, gosto de me ficar pelo seguro, ou seja, pelo que é aprovado por muitos no Zomato. Para azar meu, já não havia Floresta Negra para ninguém. No entanto, com qualquer um dos bolos da montra, a qualidade estava garantida e, analisando bem a montra e pensando em algumas fotos que já tinha visto pelo Little Tiny Pieces, lembrei-me que o Floresta Negra não fugia muito do aspeto do Frutas do Bosque e, entre o de maracujá e o banoffee, escolhi mesmo esse. E escolhi tão bem. Ainda me lembro de pensar: é isto. uma boa pavlova é mesmo isto.



O preço médio para um lanche de duas pessoas fica por cerca de 10 euros, como podem ver. E que belo lanche. A fatia é bem servida e o atendimento é excelente. E ainda consegui beber um sumo de laranja natural doce, o que é muito difícil de acontecer fora de minha casa, acreditem.



E agora só peço um regresso rápido! Para provar a tão famosa Floresta Negra e, quem sabe, levar uma daquelas chávenas rosa velho.

Likes

Comments

O blog é, sem dúvida, a melhor ferramenta que a internet alguma vez me deu. Oferece-me recompensas pessoais, faz-me ganhar doses de inspiração para viver a vida que tenho e por fim, dá-me as vossas impressões. Elas chegam até mim diariamente e eu aprecio-as: uma a uma. Mas como sabem, há muito defendo que plataforma blogger deveria ser melhorada, há ainda uma parte de mim que se aborrece quando tem que fazer um comentário no blog de outro blogger e o processo em si (ainda) não é tão instantâneo e dinâmico (dinâmico é a palavra certa!) como eu gostaria que fosse. Muitos defendem a blogosfera como ela é: com os seus problemas, mas simples e, de certa forma, tradicional. E eu aceito-a. Porém, sinto sempre que falta mais alguma coisa para que isto que aqui sou chegue até vocês de uma forma mais real, mais eu, enquanto pessoa que vivo uma vida todos os dias e que tem muito para partilhar. 

E o que melhor do que o snapchat, para ficarem a conhecer o meu (tímido) sotaque nortenho e algumas das coisas que me fazem brilhar os olhos? 



>> thatinesvivas (não liguem ao nome, estava numa fase em que ouvia muito I'm Feeling Myself, da Beyoncé)

Likes

Comments


Obcecada. É a palavra que consigo encontrar para descrever esta onda fashionista que se está a apoderar de mim. Sempre gostei de me dedicar ao meu estilo pessoal, mas confesso que não sou uma miúda que siga as tendências ou que perca demasiado tempo a escolher a roupa para o dia seguinte. Esta última varia, é claro! Há dias em que o meu guarda-roupa é tudo menos... válido. 

Hoje, resolvi trazer-vos alguns style icons que não me têm saído da cabeça e que quero mesmo vir a aplicar ao meu estilo diário. Venham daí inspirar-se.




Este item está a deixar-me desejosa de o ter a dançar em todas as malas velhas e já pouco usadas que tenho no armário. No fundo, é um simples acessório que talvez tenham aí por casa, porque na verdade não deixa de ser um porta-chaves. Ótimo para conjugar com malas pequeninas, como a que puderam ver na imagem de apresentação do post. Estou apaixonada.

(foto retirada de http://www.samanthamariaofficial.com)


De certeza que têm um lenço deste género, perdido numa gaveta esquecida. Mas alguma vez pensaram em usá-lo assim? Como acessório extra de umas belas - e confortáveis! - calças de ganga? No. I know, friends. Revolution is the word. E ainda o podem acrescentar a uma bela mala, como a Jules tão bem o faz.

(fotos retiradas do instagram @maria_bernad)




Dourado. Dourado é a cor in do momento. Para mim, sempre foi uma cor com a qual me identificava imenso. Demonstra confiança e glamour. E é disso que nós precisamos: GIRL POWER

Trouxe-vos este conjunto de anéis e colares, super acessíveis e tão minimalistas, que me preencheram o coração. São todos da Primark, uma das lojas onde mais gosto de entrar. Pela variedade de coisas que lá posso encontrar e, claro, pelos preços.





Para os possíveis rapazes que estejam a ler isto, fica também aqui uma possível dica para a vossa cara metade. Dia 14 é um dia como os outros e sim, é uma estratégia de marketing, mas vá lá... qual é a rapariga que não gosta de receber uma coisa que lhe diga: hoje, pensei em ti. ? Por isso, estejam atentos. Não caiam na cantiga do "Não preciso que me ofereças nada no Dia dos Namorados, porque não ligo." Faz tudo parte de um plano. Shhhh. Espero não ter traído a irmandade.

E, independentemente, de haver prenda ou não, tenham um dia feliz! façam para que a vossa namorada/vosso namorado saiba o quanto vocês gostam deles e, sobretudo, o porquê. Todo o ser humano gosta de se sentir único e ouvir falar de si mesmo. E esta sim será a prenda ideal. Sem falhas. Nem corridas para troca de tamanhos.

Likes

Comments




13:43. Uma hora bem legítima para se acordar quando se está de férias e se passou a noite anterior a ver um filme, não é verdade? Hoje mostro-vos como são as minhas manhãs, quando acordo ao som da chuva e com muita, muita fome. Venham comigo até à minha cozinha. 




Se a Filipa estiver a ler isto, provavelmente já está a torcer o nariz. Ela e todos aqueles que não conseguem comer um iogurte de manhã. Pois bem, foi assim que comecei a construir o pequeno-almoço perfeito. Com os ingredientes que veem na imagem, compus um mix de frutas organizado por camadas



É tão fácil ser-se saudável, não é? Ainda assim, difícil. Percebo-vos, amigos. E é por isso que não me fiquei por aqui. Preparei ainda uns ovos mexidos à la microondas e torrei quatro pedaços de um pão integral.







 Porque acordar bem é bonito e digno de filme, mas nem sempre acontece, não existe ser humano que aguente fazer panquecas todas as santas manhãs. E, por isso, resolvi apressar a coisa e puxar do meu snack favorito: panquecas da Manhãzitos. Aqueci-as um bocadinho no microondas e depois casei-as com manteiga de amendoim.




Entretanto, tive ainda a companhia do meu irmão que me preparou um dos meus (nossos!) chás favoritos.

Desfrutei do meu chá enquanto assistia a um filme fantástico, bem sugerido pela Carolina, do Lucky 13: The Intern. Também eu o recomendo pelas boas gargalhadas, pela história que talvez todos nós enfrentaremos um dia e ainda pela boa dose de feminismo. Bra-vo Anne Hathaway e Robert de Niro.



E depois disto, posso dizer que manhãs assim me motivam. Não só me enchem o estômago, como me fazem ficar desperta, mesmo quando passo o dia em casa, entre mantas e boas séries. Todos nós merecíamos uma rotina deste tipo, pelo menos uma vez por semana. Seríamos bem mais felizes e tenho a certeza que muito mais produtivos.

Saibam ainda que adorei tirar estas fotografias! Afinal os dias cinzentos têm uma coisa positiva: a lighting.

Likes

Comments


Conheci a Jules pelo Instagram e de imediato me senti rendida pelas fotos maravilhosas que partilha. Mas como qualquer conta inspiradora que encontramos por aí, é fácil a perdermos de vista, no meio de tantas outras. Este problema ficou resolvido assim que encontrei o blog pessoal da Jules

E deixem-me que vos diga que nunca me identifiquei tanto com uma fashionista




Não tenho por norma enfeitar-me de anéis e pulseiras - muito menos destas últimas, não consigo mesmo usá-las mais de 4h sem me cansar - mas quando o faço tendo a seguir um acabamento muito simples e conjugo-o com o facto de estar a usar uma roupa monocolor, por exemplo. 

Recentemente, tenho vindo a procurar inspiração para a maneira como distribuo os meus acessórios. E a Jules é a musa perfeita para o effortless look que eu tanto gosto de compor. 



Todos os seus looks têm um ar fresco e confortável! Jules é fluffy. Jules é feminina. E é percorrendo os vários pontos do mapa, que nos mostra como se pode ter estilo com peças simples. E acredito que as dela tenham preços exorbitantes, mas a verdade é que as ideias que podemos apontar no nosso bloco de moda mental são tantas, que facilmente podem ser transferidas para o nosso guarda-roupa da vida real a baixo custo.

Portanto, peças fundamentais para construir um modelito à Jules: muita ganga, acessórios que primam por anéis dourados/prateados e fios minimalistas, camisolas largas e com tons neutros e os sapatinhos. 


Para finalizar esta minha declarada admiração por um guarda-roupa - e aparente estilo de vida - invejável, trago-vos um outfit que a própria Jules usou... mas este é especial. E tudo porque foi fotografado no nosso humilde e incrível Portugal, mais propriamente em terras algarvias. Os sapatinhos não faltaram, bem como o seu descomplicado - e quase aparentemente natural - cabelo californiano.


(@sincerelyjules no instagram)

Likes

Comments

lomografica
batom mac da kylie
sapatinhos de verniz como a mafalda beirao

Likes

Comments

favoritos: life of cherry, pão torrado com manteiga de amendoim, mel e rodelas de banana, costa café, francesinha no arroz no forno, o livro que estou a ler mente-corpo best seller

Likes

Comments