fridayfour
#1 Injeção de motivação Excelente vídeo de 3min que certamente ajudará alguém que se encontra numa situação de impasse, de "Arrisco ou não arrisco?". Descubram a resposta. #2 Uma música para ajudar com este dia de chuva Não conhecia JP Cooper mas e…

Move your blog to Nouw - now you can import your old blog - Click here

Likes

Comments

para o/a N E R D W R I T E R 1. MOLESKINE PLAIN NOTEBOOK | 2. SUPORTE PARA PORTÁTIL | 3. STRANGER THINGS T-SHIRT (DIY) | 4. POWERBANK | 5 . INTAX MINI 90 NEOCLASSIC | 6 . CAPA TELEMÓVEL | 7 . CHÁVENA PARA FAZER CAFÉ IMEDIATO (Tiger) | 8. LIVRO RICA…
  • 109 Readers

Likes

Comments

O início de um novo ano pede desafios e este primeiro desafio do ano vem da Carolayne , uma blogger que tem vindo a crescer na blogosfera e que nos faz crescer a todos diariamente com as suas palavras atentas e amáveis. Devo relembrar que a Carolay…
  • 157 Readers

Likes

Comments

HOWTO
Fazer colagens é um dos maiores prazeres criativos que este blog me dá e sempre que as partilho convosco recebo um feedback mesmo positivo. É por esse motivo que decidi partilhar convosco a minha receita secreta para fazer as colagens de uma forma …
  • HOWTO
  • 198 Readers

Likes

Comments


#1 Um filme

Baby Driver


Este filme fez o meu dia. Não tinha expectativas nenhumas quando decidi vê-lo, até porque a única coisa que sabia era que o Ansel Elgort participava.... you had me at hellooooo!

Ele interpreta o papel de "Baby", um jovem adulto que - por motivos que irão descobrir - vê-se envolvido num esquema de assaltos em cadeia, organizado por um cabecilha que também irão reconhecer (Kevin Spacey). A sua função é simples mas também a melhor: é o condutor de fuga. Entre alguns malabarismos típicos de filme de ação, esta narrativa traz-nos o melhor do cinema: uma boa edição de conteúdos, com uma playlist BOMBÁSTICA (por favor, sigam-na no Spotify depois de verem o filme, garanto-vos que vão amar a vida assim que a descobrirem) e um realizador que eu pessoalmente não conhecia (aliás, nos primeiros minutos do filme cheguei a achar mesmo que era o Tarantino que estava por trás de tal obra) chamado Edgar Wright*. E este último aspeto foi das coisas que mais enriqueceu o filme, a meu ver. É uma boa comédia, com ação e drama à mistura, sem pausas chatas ou conteúdos vazios.

*Se tal como eu, ficaram fãs do trabalho do produtor, podem saber mais sobre ele aqui.


#2 Uma série

Alias Grace


Esta série é uma coisa bem difícil de se explicar mas vou tentar não tornar a minha visão mental dela aborrecida.

Então, temos Grace, uma jovem irlandesa que se vê na necessidade de emigrar para Toronto com a sua família (isto no século XIX). Mas depois de Grace, a jovem irlandesa que se vê a mudar de vida repentinamente, temos uma ... assassina? É verdade. Grace é a nossa assassina/pseudoassassina. A série traz-nos uma espécie de puzzle complexo, em que o que nós vamos fazer, enquanto expectadores, é sentar e julgar o seu veredicto. Confesso que apesar de me ter sentido tentada várias vezes a fazer esse julgamento - foi ela ou não foi? - e de me ter confundido e perdido eticamente na minha resposta, eu cheguei a uma fase em que a minha costela "científica" me puxou para outro destino, o destino do porquê, da razão psicopatológica que estaria na raiz de hipotéticos comportamentos. Enquanto estudante de medicina, eu creio que interpretei mesmo bem estes 6 episódios - é verdade, tenham isto em conta quando a forem ver, só existem mesmo estes episódios! - uma vez que conheço algumas características dos diferentes tipos de alterações psíquicas e foi, para mim, muito satisfatório poder reconhecê-las. Neste sentido, acho que a série está muito bem estruturada porque entretém o "leigo" e acaba por estimular a compreensão das pessoas que estudam esta área.

Por isso, se estão em Psicologia/Medicina ou então apenas se interessam muito por este tipo de temática, esta série é definitivamente para vocês!


#3 Um vídeo em forma de ajuda natalícia

Christmas Gift Guide by Estée Lalonde


Se são como eu e começam a planear os presentes dos vossos loved ones 1 mês antes então este vídeo é mesmo para vocês. Mais uma vez, obrigada Estée por seres esta influencer genuinamente útil.

Se estão com pressa, revejam aqui rapidamente as colagens com a seleção de presentes.


#4 Mais ajuda? Sim, por favor.

Winter Capsule Wardrobe by Anna Edit


Eu sinto que estive a "perder na vida" até agora, porque eu não conhecia de todo a ANNA EDIT. Mas agora que fiz o meu devido stalk ao seu trabalho, posso dizer-vos que me consigo identificar imenso com o seu guarda-roupa e estilo de vida, sobretudo. Gosto das suas rotinas matinais calmas, há algo nisto que me faz mesmo acalmar quando vejo os vídeos dela e também aprecio o facto de ela ser bastante minimalista naquilo que apresenta, sempre com um aspeto organizado e com um fundo de vídeo claro e arrumado.

Este vídeo é um dos seus mais recentes e ajudou-me imenso na minha organização mental da lista de coisas que estou mesmo a precisar de renovar no meu armário, ajudou-me sobretudo a perceber que tipo de roupas uso com maior frequência, como as minhas calças de ganga de cinta subida e os meus casacos longos.

Acho que vos vai ajudar mesmo muito, tanto na vossa organização de armário diária como no plano futuro das vossas compras de Natal. 😘

Move your blog to Nouw - now you can import your old blog - Click here

Likes

Comments

Sou estudante há 15 anos - wow - e à medida que fui adquirindo experiência neste campo selvagem que é a educação académica percebi 3 coisas:

1. O trabalho não vai desaparecer mesmo que eu o ignore muito (leia-se: procrastine)

2. Ter conhecimento faz-me sentir bem, mesmo que para o adquirir tenha que abdicar de umas 4h diárias da vida

3. O estudo, para render, tem que estar sempre suportado numa motivação minha, ou seja eu tenho que me sentir a) inspirada e sobretudo b) motivada para estudar. A primeira alínea é mais difícil porque nem sempre tenho tempo para ver um episódio de Dr.House/Grey's Anatomy/ Scrubs/The Good Doctor/(you name it) porém a alínea b) resolve-se facilmente e a solução vem em forma de uma folha de papel forte e liso e uma ponta de caneta 0.7mm feita especialmente para mim 💗

É desta forma que vos introduzo à minha lista de coisas essencialíssimas para que aquelas 4h de estudo não sejam nunca em vão. Porque, como diria um professor meu, "tempo é cérebro".

1. S T A T I O N A R Y

Eu poderia exagerar a coisa e colocar aqui toda a caneta que entra no meu estojo mas resolvi controlar-me e eleger os 4 materiais mais usados de tão bons que são - caneta de gel Uniball azul escuro, esferográfica azul da Soft Plus (custou-me 0.60€ na minha faculdade e tem uma "pegada" e uma escrita ótimas), marcador preto ponta fina da Staedtler Triplus Fineliner e sublinhador fluorescente da Pelikan. Compro muito material escolar, mas o que é certo é que estes 4 são sempre repostos ao fim de alguns meses.

2. N O T E B O O K S

A Moleskine é a rainha dos cadernos. E eu quero-os sempre muito. Já experimentei cadernos de outras marcas, já encontrei uns muito bons até no chinês, mas a verdade é que volto sempre à Moleskine. Recentemente, o regresso a esta marca tem sido mais difícil uma vez que dar 16€ por um caderno que tem um prazo final me faz alguma confusão ainda. Enquanto me mentalizo que "preciso" de um novo moleskine, estou neste momento a escrever num caderno da Tiger, é da nova coleção holográfica que eles têm e custou-me 4€. Tem muitas páginas, é A5 e é de linhas, tendo um tipo de folha que eu gosto particularmente, com uma cor "amarelada velha" e também ela relativamente resistente. Gosto também de ter sempre um caderno mini size, principalmente para recolher dados importantes dos doentes que consulto, sendo este perfeito para caber no bolsinha da minha bata. Para este tipo de caderno já não sou assim tão exigente e estou muito satisfeita com o meu da Tiger (também da coleção holográfica)

3. H Y D R A T I O N

Quando estou concentrada tendo a adquirir alguns vícios, sendo um deles a preguiça para fazer uma pausa para beber água e o outro o passar com a língua nos lábios demasiadas vezes, deixando-os secos. Pois bem, tendo isto em conta, agora ando sempre com uma garrafa de água reutilizável para me obrigar a beber e um batom hidratante, o meu é o da Cien, podem adquiri-lo nos supermercados LIDL, tendo sido um dos únicos batons a passar no teste de qualidade da DECO, superando marcas como a Neutrogena e a Labello, por exemplo. E o melhor de tudo é que 3 batons destes somam um preço de 1.99€. Não dá para acreditar sequer.

4. E N T R E T E N I M E N T O

Nos ouvidos, a playlist habitual My Favourite Coffee House no Spotify e na boca umas Trident, de preferência de menta, para me manterem desperta durante o dia e deixem-me que vos diga que entre isto e um café duplo, não sei o que é melhor sinceramente, mas esta é a minha estratégia.

5. G A D G E T S

Nas aulas de Cirurgia Geral, o meu estetoscópio tem sido essencial e gosto mesmo que 2 anos depois a cor que escolhi para ele faça sentido para mim tal e qual como no primeiro dia.

Quanto ao meu tablet, está sempre comigo quando preciso de aceder a algum pdf ou livro e sinceramente prefiro usá-lo em detrimento do pc, por ser mais pequeno e menos distrativo (porque não tenho a app do facebook lá instalada propositadamente, por exemplo).

Confesso que me deu um enorme prazer preparar esta publicação para vocês e, por isso mesmo, estou a pensar em trazer mais conteúdo desta temática #medschool) aqui para o blog.

Espero que tenham gostado e que vos tenha motivado para começarem esta semana em grande! 💪

*nota: a colagem foi feita por mim e todos os itens presentes na imagem são iguais aos que eu possuo atualmente, à exceção dos moleskine notebooks.

Likes

Comments

#1 Uma série

THE GOOD DOCTOR

Shaun, um jovem autista com síndrome de Savant, está no seu primeiro ano de especialidade num hospital de prestígio. Conseguirá ele ser tão médico como todos os outros? E cirurgião? Pois bem, é a tudo isso a que a série nos responde.

Eu confesso que esta é uma das minhas séries favoritas do momento. Ok, tudo bem, o mundo real dos médicos não é bem assim como eles pintam, há muito menos melodrama e muito mais trabalho também. Os internos em Cirurgia Geral têm responsabilidades sim, mas não fazem nem metade daquilo que a série tende a mostrar. Ou seja, há muitos momentos típicos de série americana: drama, protagonismos exagerados e drama de novo. Mas ainda assim, eu AMO esta série. Tenho mesmo sentido que me tem oferecido uma power bank de paciência e motivação para o meu semestre - que só por acaso, é de Cirurgia também. Se eu e os meus colegas que estamos a estudar Medicina detetamos alguns desleixes técnicos e ainda assim conseguimos vibrar com esta série, tenho a certeza que qualquer pessoa que tenha gostado de assistir a H O U S E ou a Grey's Anatomy vai adotar The Good Doctor!

Conta já com 7 episódios.

#2 Um podcast

Estée Lalonde // The Heart of It


Sabem aquela sensação que se tem, de quando em vez, de que as pessoas não nos vão conseguir surpreender/conquistar mais nas suas vertentes? Isso estava qqqqqqquase a acontecer com a Estée - a minha youtuber favorita. Sim, é verdade. Já a posso chamar de favorita depois deste mais recente projeto: um podcast.

A Estée é mesmo uma comunicadora genial e é nessa sua qualidade que consegue chegar ao seu público, é na força e simplicidade dos seus pensamentos que depois se traduzem em palavras, as quais, por fim, esbarram connosco em forma de empatia. É neste formato que a ouvimos a falar de temas pesados como o feminismo, a liberdade de expressão e a auto-imagem, começando sempre por pegar num momento da sua vida pessoal para iniciar a explicação da sua opinião em relação ao assunto. E ainda nos traz um convidado diferente a cada sessão!

Deixo-vos aqui o link do primeiro episódio, com a promessa de que se já a seguiam fielmente, este vai ser mais um motivo pelo qual não a vão largar.

#3 Uma conta de instagram

@martini_redd

A Renata está atualmente a ter aulas de Cirurgia comigo e foi numa das nossas conversas matinais que descobrimos algo em "comum" por acidente: ambas estamos ligadas à arte, de formas muito diferentes mas conetantes. Eu escrevo. A Renata desenha. E foi depois de ver alguns dos seus trabalhos, que não pude deixar de os partilhar convosco. A Renata é uma autêntica fã de séries de animação, por isso tenho a certeza que irão encontrar muitas personagens favoritas da ficção por lá. Este foi o meu desenho favorito. Go give her some love! ✨

#4 Um gelado

de caramelo e brownie, da Haagen-Dazs!

Descobri-o esta semana no Vasco da Gama enquanto fazia horas para apanhar o meu comboio. Estava sonolenta e com desejos de comer algo doce e renegando um belo de um McFlurry, vi-me virada para esta gelataria. Resolvi pedir o menu Duo, que inclui um café + 1 bolinha de gelado (pequenita mas suficiente) com sabor à escolha. Paguei 2.20e pelo menu e fiquei deliciada, tanto com o café como com o gelado (sobretudo com este!). Se estiverem a sentir-se ricos, optem mesmo por provarem 1 bola de gelado deste sabor por 3e. Eu diria que era uma boa aposta! Estes gelados são mesmo os melhores que já provei até hoje.

Likes

Comments

.

Jardineira // Colar // Mala // Relógio Casio // Casaco // Sapatilhas Adidas Stan Smith

Agora que comecei a ver Stranger Things, há uma espécie de inspiração nos anos 80 que eu não estou a conseguir não teletransportar para a minha vida. De facto, cheguei à conclusão de que a grande maioria das minhas roupas - de uma forma consciente ou não - são bem típicas desta altura. As Mom Jeans, as sapatilhas e os sapatos pretos envernizados, a tendência para a cor bege em tudo o que é casaco e malas, as oversized sweatshirts ... 🙆

Montei esta colagem com tudo aquilo que me fascina no momento a nível de fashion items. O relógio digital e as sapatilhas são um favorito antigo, mas tudo o resto está mesmo muito apetecível neste momento. Vou controlar a carteira, mas o desejo fica por aqui.

Escolhi sobretudo itens da Pull & Bear (é uma das minhas lojas favoritas de momento), CincoStore e Parfois.

Likes

Comments


Deixem-me desde já confessar que a minha primeira opinião sobre os cigarros eletrónicos, quando ainda eram novidade, era positiva. Bastante positiva até. Sempre fui uma pessoa de soluções e, para mim, se o tabagismo ainda era um problema na vida de muitos, então estava na altura de o solucionar.


1. Contém nicotina.

É esta miúda que vai continuar a dizer ao cérebro que está tudo bem, que não há falta de nem uma molécula de nicotina. E isto é importante porquê? Porque só assim é que se impedem sintomas derivados da cessação tabágica, entre os quais a irritabilidade, a insónia, a ansiedade e o aumento de peso. E são estes mesmos sintomas que podem surgir logo no 1º mês em que a pessoa deixa de fumar o que, convenhamos, será o mais propício para recaídas.

2. Tem o aspeto semelhante a um cigarro

(sendo que os primeiros eram mesmo cópias do original)

Isto pode parecer intuitivo mas a verdade é que se chegou à conclusão de que as pessoas que decidiam deixar de fumar não só precisavam das doses de nicotina como lembrete de que está tudo ok, mas também precisavam de ver cumprido o hábito socio-cultural de se pegar num cigarro, levá-lo à boca, fumá-lo e parecer super badass enquanto o faziam numa pausa do trabalho. Isto tudo para provar que o cigarro eletrónico venceu claramente a batalha aos adesivos de nicotina, que tudo o que faziam era sorrir e acenar ao cérebro. E batalhas ganhas significam menos probabilidade de recaída.


Perante isto, a ideia de se fabricar um "cigarro" que fosse tudo o que o cigarro é menos maléfico, só podia ser divina. Foi exatamente assim que a encarei na altura. "Isto é espetacular". Não devo ter sido a única.


Atualmente, começa a haver um aglomerado de artigos que tem vindo a público com o intuito de negar todo o papel benéfico que outrora se pensava que estes cigarros tinham na desistência do tabaco e, mais importante, passam a evocar os malefícios dos mesmos.

Ontem, deparei-me com este artigo do JAMA (the Journal of the American Medical Association) Pediatrics que resume, de forma simples, o que se sabe agora sobre estes dispositivos e algumas razões pelas quais não deves apostar neste hábito, principalmente se fores um não fumador ou adolescente.

1. INTOXICAÇÃO

Os cigarros em forma de caneta ou até mesmo os mais parecidos com o cigarro tradicional podem ser vistos pelas crianças como brinquedos e a verdade é que o envenenamento pela solução de nicotina contida nestes cigarros (que equivale a 1/2 de uma colher de chá) é uma realidade, sendo fatal não só para crianças com <5 anos como para animais de estimação, como já foi relatado.

2. ADIÇÃO

Como vos disse, estes dispositivos continuam a ter nicotina que é reconhecida como uma substância altamente aditiva e, portanto, não estão hoje recomendados como substituintes do cigarro tradicional para quem quer desistir de fumar, ao contrário do que se pensava inicialmente.

Sabe-se também que não fumadores, sobretudo adolescentes, que começam por fumar cigarros electrónicos têm uma maior probabilidade de vir a desenvolver hábitos tabágicos no futuro, ou seja, a passar para fumadores do cigarro tradicional.

3. ACESSO

Outro problema é a venda não regulada destes dispositivos, sendo feita online na esmagadora maioria dos casos, o que aumenta o consumo por pessoas com <18 anos e a probabilidade de surgirem questões de segurança relacionadas com a compra (p.ex: casos relatados de cigarros que explodiram nas mãos dos utilizadores por defeito na regulação da temperatura)

4. PUBLICIDADE

  • "São giros, personalizados e existem em qualquer sabor que lhe apetecer: pastilha elástica ou algodão doce. É só escolher."



Tornam-se irresistíveis ao comprador e estão sobretudo desenhados e pensados para um público-alvo: adolescentes e jovens adultos.
5. CANCRO

Além de nicotina, o vapor destes cigarros possui também nitrosaminas. Se quiséssemos nomear uma culpada entre estas duas moléculas - a nicotina e as nitrosaminas - seria bem difícil, mas eu cá apostava nas nitrosaminas. E porquê? Porque estão cientificamente comprovadas como sendo um carcinogénio, o que significa que têm a capacidade de promover o aparecimento de cancro, nomeadamente cancro do pulmão, da bexiga e do rim.


1. Para as pessoas que estão a deixar ou querem deixar de fumar, a única coisa que precisam mesmo neste momento é de atitude e de acompanhamento médico. Vão ao vosso médico de família, expliquem a vontade que têm em mudarem de estilo de vida e marquem com ele/ela a consulta de cessação tabágica. Acreditem que é possível viver sem essa moleta. A teoria é sempre a seguinte: se outros conseguiram porque não vocês também?

2. Para os jovens que começam agora a dar as suas primeiras passas neste tipo de dispositivo, quero só lembrar-vos que a embalagem pode ser diferente mas o conteúdo é desastroso à mesma, como deu para perceber. Experimentem ver isto de um ponto de vista revolucionário: sentem-se bem sabendo que a indústria do tabaco tem impulsionado as campanhas publicitárias evidentemente para um público-alvo jovem (para vocês) mostrando o quão fácil é manipular-vos? You're young, just fight the system and go get yourself a true addiction: perhaps self love...? 😌

Likes

Comments

Pois é. Estamos em Outubro e a faculdade inunda a vida.

Ultimamente, tenho usado estas apps religiosamente e percebi que me são realmente úteis e importantes no meu trabalho diário. Tenho a dizer que as duas primeiras terão mais interesse para estudantes de medicina, porém as duas últimas podem ser usadas por qualquer pessoa. Aqui, no Vivus, agrada-se a gregos e a troianos!

Ora vejam:

1. M E D S C A P E | O Medscape é uma plataforma americana que coleciona informação médica. Podem facilmente acompanhá-la na web, registando-se por lá ou podem inscrever-se no facebook ou então, de uma forma mais prática, podem facilmente baixar a app e usá-la no vosso dia a dia sem Wi-Fi, o que acaba por se tornar a grande vantagem da app.

Aqui, podem encontrar sempre as mais recentes descobertas na área, guidelines e, sobretudo, a bela da semiologia médica. É para este último parâmetro que eu tenho usado mais a app, sobretudo neste 4o ano do curso, o nosso 1o ano clínico, em que tudo o que fazemos é ver doentes, colher histórias clínicas, ou seja: propôr hipóteses diagnósticas. É muito importante conhecermos resumidamente a patologia do doente para sabermos direcionar as questões e chegarmos a conclusões fidedignas. O que faço normalmente é pegar numa hipótese diagnóstica (por ex. pancreatite aguda) e ver os seus diagnósticos diferenciais respetivos na app.

Poupa-me tempo e aumenta a taxa de sucesso do meu estudo do doente.

2. OXFORD Concise Medical Dictionary | Sabem o que significa eritrópsia? Nem eu sabia. Até baixar esta app, é claro.

Com este dicionário médico, podem enriquecer-se diariamente em vocabulário médico. E eu digo diariamente porque todos os dias a app prepara um conjunto de termos médicos para explorarem. Temos acesso ao som da palavra e ao respetivo significado, sempre bastante simples e informativo.

Ainda não sabem o que é eritrópsia? Desafio-vos então a procurarem na app.

3. Q U I Z L E T | Desta vez apresento-vos um site dedicado a facilitar a memorização de conceitos. Então, tudo o que têm que fazer é registarem-se aqui e depois disso, começam a formular cartões. É exatamente isto: CARTÕES. Tão simples como parece. Existem 2 cartões: 1 para a pergunta/conceito e outro para a resposta/definição. Se quiserem, podem até clicar no modo aleatório e uma Voz Google vai ler-vos as opções.

Tem sido um dos meus melhores amigos quando tenho que preparar bem um tema para Cirurgia e tenho menos do que umas horas na noite anterior para o preparar. O método pergunta-resposta funciona mesmo.

Deixo-vos com as minhas duas humildes mais recentes criações: https://quizlet.com/nesvivas

4. T I N Y S C A N E R | De todas, esta é a app à qual eu tenho dado menos uso, por nenhum motivo em especial. Mas lembro-me de me ter sido muito essencial quando andava a fazer esta Tenerife Series, o que implicava que precisasse de digitalizar o meu bullet journal. Ora, esta app facilita um bocadinho as coisas. Basta tirarem uma fotografia aos vossos apontamentos que ela converte-a, em segundos, num documento digitalizado. É rápido, facilmente partilhável. Digam adeus aos serões perto da impressora, a abrir e a fechar a tampa que parece ter vida e engordado 20kg no Verão. Agradeçam-me depois! 😉

Likes

Comments


#1 Uma música

Bon Iver - 8 (circle) | One To One


"It was in Oct. 2016, in Berlin, during Michelberger Music. Between each show of the festival, we were kidnapping a person in the audience, which we were taking to a secret room where an artist was waiting. Between the two of them, a unique experience : a One To One concert."

O eco musical deste vídeo derrete-me. Para mim, música é mesmo isto. Íntima. No fundo, estou sempre a ouvir música, a experienciá-la, neste formato: one to one concert. Só que o cenário muda e provavelmente estou no meu melhor canto do sofá com os phones enterrados no cérebro.

#2 Um canal de youtube

W I L D W E R O A M


Tropecei neste canal aleatoriamente e pois claro que fui surpreendida. Neste canal, podem acompanhar as aventuras de um casal de namorados que viaja pelo mundo, vivendo um estilo de vida excecionalmente simples e minimalista, conetado às artes e a outras paixões, como tenho a certeza que irão descobrir. Se são amantes de fotografia mas também gostam de acompanhar vidas de pessoas do outro lado do mundo que vos transmitam paz e felicidade, o canal Wild We Roam é o vosso canal.

Coisas interessantes sobre eles:

1. para conseguirem fazer a viagem de uma vida, Dana e Lou puseram-se à prova e conseguirem sobreviver com 3 doláres diários, durante 1 ano.

2. Lou sofre de artrite reumatóide desde muito novo e uma das estratégias que conseguiu construir para atenuar a dor articular, típica desta doença, foi excluir por completo alimentos pró-inflamatórios da sua rotina diária. Os resultados? A dor imediatamente baixou de uma intensidade de 7 para 2. Impressionante, ha? Podem seguir várias receitas vegan no blog e no instagram deles.

https://www.wildweroam.com | https://www.instagram.com/wildweroam


#3 Um movimento musico-introspetivo

G E N I U S


.GENIUS é uma plataforma que convida músicos a descreverem o que lhes ia na alma quando compuseram determinados hits. É mesmo interessante ver o significado que cada estrofe tem para o autor do êxito.

Estar a seguir este projeto não só me faz conhecer novos artistas como me faz admirar os seus trabalhos de uma outra perspetiva. Convido-vos a procurarem alguns dos vossos músicos preferidos e talvez percebam o que sentiram quando escreveram a "letra da vossa vida".


#4 Um documentário Netflix

Filhas do Destino


Nada me preparou para a excelência deste documentário. Estava eu no comboio, a regressar a casa depois de uma semana académica quando decidi que estava na altura de o ver. E só vos digo que se estão num momento de impasse da vossa vida, se se sentem insuficientes ou sem rumo, este documentário pode ajudar-vos a mudar de perspetiva. Aliás, deve.

Um certo dia, Abraham George, um empresário milionário indio-americano decide dedicar-se completamente a um novo projeto, um projeto em prol de uma Índia menos subdividida, mais desenvolvida, mais educada. E esse projeto passa por abdicar das suas fortunas, vendendo tudo, em troca de investimento numa escola. É verdade, leram bem: uma escola. Uma escola chamada Shanti Bhavan (em hindu, significa heaven of peace) sem fins lucrativos, com o único fim de revolucionar a sociedade indiana, partindo do pressuposto e querendo provar que crianças, adolescentes e jovens adultos indianos, independentemente da classe social a que pertencem, podem receber educação e tirar proveito dela por um futuro promissor como qualquer outra criança, adolescente e jovem adulto americano.

Eu achei este documentário particularmente especial por nos mostrar todos os lados da iniciativa. Ou seja, se por um lado estamos a entender o que de positivo se poderá levar deste projeto, por outro estamos a pesar o que pode falhar nele. Há um equilíbrio, eu diria perfeito, nos pontos de vista apresentados. Porém, a ideia final que fica é que Shanti Bhavan é um projeto que funciona, é uma oportunidade única de "mudar o próprio destino". É um fator extrínseco que alterará, para sempre, a rota final daquelas crianças, futuros homens e mulheres.

É este tipo de realidades fora do meu espectro da realidade que me fazem reconhecer os meus direitos, agradecê-los por existirem, sem que eu tenha que ter passado por nem 0.1% das coisas que estes humanos, que partilham moléculas de oxigénio comigo, a uns kms de distância, passaram. Fez-me perceber que sou uma rapariga branca com privilégios a mais e há que saber aproveitá-los mais vezes. Sem direito a reclamação, a cara feia. Porque a vida, felizmente, ainda é demasiado fácil deste lado do mundo.

Likes

Comments

#1 Um falso documentário

Where Is Thea?


Confesso que a primeira vez que encontrei este vídeo pensei mesmo que se tratava de um pedido de ajuda real. (I know, silly me!) Mas a verdade é que esta espécie de documentário da vida real está mesmo próxima da vida real. A começar nas filmagens, que parecem todas serem feitas a partir de um iPhone e a acabar na falta de cenários bonitinhos e personagens trabalhadas.

Então, mas o que é isto? Pelo que eu entendi, o FEUDLY é um canal de youtube que transmite esta mini série norueguesa - a lembrar muito SKAM, que saudades! - em que Liv procura por Thea, a sua melhor amiga/companheira de casa que está desaparecida. Não percebi ainda onde é originalmente produzida esta série mas parece-me que os episódios integrais estão mesmo todos no canal que mencionei.

Tenho gostado muito de acompanhar, normalmente cada parte tem os seus humildes três minutos, o que é poucochinho mas que dá para aumentar o suspense e a vontade de saber mais. Aconselho sobretudo para quem é fã de SKAM. E já agora, se algum de vocês me souber esclarecer mais acerca da origem de "Where is Thea?" agradeço. 😉


#2 Uma série

Jane The Virgin


Geralmente, afasto-me destes cartazes todos coloridos do Netflix mas fez-me ficar particularmente curiosa depois de ter lido a sinopse que referia que Jane (a protagonista), fiel católica, prometida a uma vida casta antes do casamento, é inseminada artificialmente, resultado de um erro médico, passando a Jane, the pregnant virgin!

Contem com muita comédia, com um romance satírico ao estilo de telenovela e acreditem que é uma ótima série para ver quando não apetece ver um filme longo ou pensar muito nas questões existenciais.

É uma série que me faz lembrar um bocadinho o registo de Betty Feia mas melhor! Tem 3 temporadas e eu estou quase a acabar a primeira, o que é ótimo tendo em conta que comecei a assistir há 1 semana atrás e a primeira temporada tem 22 episódios.


#3 Um vídeo que eu gostava de ter visto há mais tempo

F E R T I L I Z A T I O N


Este vídeo está tão incrível que desejei que o meu 15-years-old-self o tivesse visto nas primeiras aulas de Biologia. Tudo é tão mais motivador em formato de imagem. E poético! Não é poético? Já agora, aproveito para referenciar o canal de youtube que transmite estes pedaços de arte: Nucleus Medical Media. Se são estudantes de medicina ou então têm apenas um prazer e curiosidade enorme em perceber determinadas patologias/fisiologia humana, este canal é para vocês.


#4 Um lançamento de uma nova música

Ready to Change, by KODALINE


Para quem me segue há uns aninhos, não será novidade dizer que Kodaline é uma paixão fiel minha. É uma banda que tem tentado inovar bastante nos últimos tempos, sair fora do seu registo habitual e a mim parece-me que estão a consegui-lo na perfeição. As músicas continuam catchy e os clips oficiais transmitem sempre uma mensagem forte e intimista.

A minha explicação para gostar de Kodaline vem desta sua pureza de sentimentos, da sensibilidade que uma banda masculina (repito: masculina!) não tem medo de trazer à tona. Aconselho-vos mesmo a verem o vídeo. Fãs de Kodaline, se ainda não se tinham esbarrado com este clip, fico muito feliz por ter sido a fonte da boa nova. Hope you love it. 💘

Likes

Comments


#1 Uma série

Genius


É uma série do National Geographic e só isso diz muito. Mas a isso ainda se junta uma biografia incrível de Albert Einstein. Se querem entrar no século XX de uma forma realista, vejam esta série. Além de percebermos a vida de uma das mentes mais brilhantes que este mundo um dia teve a oportunidade de presenciar, percebemos muito do contexto historico-socio-político da época de então. O rigor factual é fantástico e a fotografia um mimo. A primeira temporada foi dedicada a Einstein e sabe-se que a segunda será de Pablo Picasso. Promete!


#2 A TEDx Talk

There's more to life than being happy


O título deste vídeo chamou-me a atenção porque de facto, toda a minha vida eu achei que a felicidade deveria estar no centro das nossas preocupações/prioridades. Mas e se não for "apenas" a felicidade? E se aquilo que nos faz sentir algo passar por outras coisas que não necessariamente estar apenas calmo ou positivo? Se querem perceber-se mais um bocadinho, vejam este vídeo e digam-me se não faz todo o sentido.

#3 Um filme

Fight Club (1999)

Ora aqui está um filme que eu tenho na minha watchlist há demasiado tempo. Ontem risquei-o finalmente e posso dizer que valeu a pena. A interpretação do Brad Pitt é só a melhor a que pude assistir e as participações de Edward Norton, Helena Carter e Jared Leto parece-me a mim que são mais 3 razões pelas quais devem ver este filme.

A meu ver, além de abordar o óbvio (que vocês só irão entender no fim), este é um filme que explora a luta contra a nossa própria identidade, que me fez sentir livre e me moveu a ser mais "irrequieta", mais irreverente no futuro. Além disso, fez-me rir. Muito.


#4 Um restaurante

Honorato Telheiras


imagem retirada da minha publicação de 2015 (vejam mais aqui)

Em 2015 falei-vos deste sítio e é passados 2 anos que vos volto a incentivar para lá irem comer o hambúrguer da vossa vida. Estive no Honorato há cerca de 2 semanas e continuo com a mesma opinião: este é mesmo o hambúrguer mais saboroso que as minhas papilas gustativas já tiveram o prazer de conhecer, ultrapassando a Dona Maria Pregaria, o típico McDonalds e já nem falo no Burger King (que nunca me convenceu).

As batatas, bem como o molho de batatas, parecem-me "feitas à mão", ou seja dão-me a impressão de serem caseiros e o hamburguer não é borracha, é carne da boa! Desta vez, tive a oportunidade de experimentar o X-Burguer, que penso que é um hambúrguer bem simples para quem começa a medo no Honorato e não quer pagar mais de 10 euros por uma refeição.

Por isso, já sabem, se viverem no centro de Lisboa, aconselho vivamente o Honorato de Telheiras, pela localização estratégica e belo serviço.

Likes

Comments

O meu jeito para a decoração está longe de ser perfeito e a minha ideia de viver num apartamento e ser o meu best independent self também. Mas, enquanto estas duas coisas não acontecem, acontece que eu gosto de viver no mundo da imaginação e nesse mundo esses dois parâmetros existem e fundem-se nesta colagem: completamente possível, fácil e gratuita.

Pensei em alguns dos objetos que me são familiares e que me fazem ficar feliz e relaxada só de olhar para. Conseguem detetar o padrão? Verde, branco, madeira. Verde, branco, madeira. E talvez tenha uma ligeira tendência para cactos. Afinal, se quero ser uma miúda independente, o que melhor do que uma planta quase que auto-suficiente para o gritar ao mundo?

Uma casa confortável para mim há-de sempre ter plantas em toda a parte. Nem que sejam falsas! Eu quero-as é à vista. Além disso, deve estar inundada de fotografias, ficarei especialmente feliz se forem autorretratos tirados por mim.

Uma boa secretária é fundamental, principalmente para quem está em modo académico e estuda muito por casa, como é o meu caso. A cadeira tem que ter uma arquitetura minimalista e sobretudo tem que trazer conforto à nossa pobre coluna. Além disso, aquele género de moodboard da vida real é vida. É mais fácil de se obter por #diy do que se pensa, mas se não forem grandes artistas físicos (como eu!), podem sempre adquirir um no chinês do lado ou elevar a fasquia no IKEIIIIIA, AIKIA, IKÊA? Como veem na imagem, quase que nem precisam de gavetas se apostarem neste tipo de "moldura de suporte".

E, pronto, como veem, para mim, não é complicado dar um ar mais arrojado e inspirador ao sítio onde vivemos. É importante sentirmo-nos confortáveis dentro de nós mesmos mas também no ambiente em que estamos inseridos. Umas velas aromáticas, uma boa iluminação natural e uma bela chávena de café quente talvez sejam tudo o que precisamos para nos sentirmos exatamente preparados para sermos o nosso best self. ✨

Likes

Comments